Bem-Vindos ao Nobel Felipense.

Liberdade de Expressão e Democracia com respaldo no atual Art. 220º e § 2º da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Brasil ocupa 69ª posição em ranking de percepção da corrupção mundial




A percepção da corrupção no Brasil piorou durante o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O carisma de Lula, aliado aos programas sociais do governo, ao crescimento econômico e à eleição do país para sediar a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016, no Rio, serviram para mascarar os profundos problemas de corrupção no Brasil. É o que revela o Índice de Percepção da Corrupção, elaborado pela ONG Transparência Internacional, com sede em Berlim.

O Brasil manteve em 2010 o mau desempenho dos últimos anos no ranking. De acordo com o relatório divulgado nesta terça-feira, o país alcançou 3,7 pontos no indicador – mesma pontuação obtida no ano passado. Como houve piora em outros países, o Brasil acabou subindo seis posições no ranking e ocupa agora o 69º lugar. A entidade aponta que isso não significa que a situação do país melhorou e alerta: a corrupção no Brasil é um problema que não foi resolvido pelo governo Lula.

Em 2002, por exemplo, o Brasil era o 45.º colocado na lista, com uma pontuação superior à de hoje. Em oito anos, a constatação da entidade é de que o Brasil desabou na classificação. "A mudança de posição no ranking não é o importante. O que importa é que a pontuação do Brasil não melhorou", explicou Alejandro Salas, diretor da entidade para as Américas. A mudança de posição, disse, ocorreu porque outros caíram e o relatório deste ano tem dois países a menos.

A Transparência Internacional estabelece notas de zero a dez para os países. A pontuação mais próxima de zero indica que uma nação é vista como muito corrupta, enquanto as que se aproximam de dez são classificadas como menos corruptas. Para distribuir as notas, a ONG realiza pesquisas com especialistas e executivos dos 178 países avaliados. Os entrevistados avaliam como percebem a presença da corrupção nas instituições públicas dos países onde vivem.

Após estabelecer as notas, a ONG elabora o ranking comparativo. Ocupam as primeiras posições as nações em que a corrupção se faz menos presente. As mudanças mais significativas na listagem foram identificadas em Cuba, país em que a corrupção ganhou terreno, e no Chile e Equador, onde retrocedeu de forma notável.

O Chile voltou a ser o país latino-americano mais bem situado na classificação, ao obter 7,2 pontos dos 10 possíveis, e ascender quatro posições com relação à edição do ano passado. O país está agora na 21ª posição. Já o Equador melhorou de forma notável, passando de 0,03 ponto, para 2,5 pontos. O país subiu da 146ª posição para a 127ª. Cuba, que historicamente situava-se entre os países latinos menos corruptos, caiu de 4,4 pontos em 2009 para 3,7 em 2010, e recuou oito posições.

Os países que mais pioraram nesta classificação com relação ao ano passado são a República Tcheca, Grécia, Hungria, Itália, Madagascar, Níger e Estados Unidos. Por sua vez, os países que experimentaram melhorias mais significativas nos últimos 12 meses são Butão, Chile, Equador, Macedônia, Gâmbia, Haiti, Jamaica, Kuwait e Catar.

Como nos últimos anos, as nações mais bem situadas no Índice de Percepção da Corrupção 2010 são Dinamarca (9,3), Nova Zelândia (9,3) e Cingapura (9,3). Na outra ponta da tabela aparecem Iraque (1,5), Afeganistão (1,4), Mianmar (1,4) e Somália (1,1).


Fonte:http://veja.abril.com.br  




                                                                        (...)

Um comentário:

gilmarhenriq disse...

Grato pela informaçao, Nobel.
É sempre muito bom manter-se atualizado sobre essa questão.
A propósito, no q me concerne, sempre adoto uma perspectiva marxista em relação aos fatos como eles se apresentam – de fachadas envernizadas. Isto é, vemos, com bastante clareza, muitos oportunistas se fazendo presentes e/ou, até mesmo, representando nomenclaturas políticas sérias e emergentes a ponto de me fazer jogar no lixo o adesivo de Marina q pretendia usar. A ubiquidade desses cidadão me surpreende, assim como aqueles falsos cristãos que superlotam sinagogas.
Muitos, depois de se beneficiarem bastante de vantajosas corruptelas, alardeiam, publicamente, discursos cheios de princípios morais.
Como era no princípio, agora e ... (cadê aquelas teorias evolucionistas par dar conta dessa questao?)

Sou criacionista sim, graças a Deus!!!!